14 de agosto de 2009

Alguém me explica?



Alguém me explica por que motivo não me apetece fazer nada?

Verão... porque sim!

Gosto de estar de férias, de viver em alguns dias o que idealizo para todos eles...

Gosto da descontracção, da felicidade estampada no rosto, da sensação de liberdade...

Gosto de andar descalça, de sentir a areia entre os dedos dos pés (e das mãos também) e de
sentir a brisa no rosto, gosto dos salpicos de água salgada...

Gosto de mim no Verão, gosto das ideias que tenho e dos pensamentos que me ocorrem...

Gosto de ti também e da princesa mais linda do Mundo...

Gosto de partilhar os dias e as noites com a família e com os amigos...

Gosto dos gelados fora de horas, das garrafinhas de vinho branco que se evaporam sem darmos por elas, dos aromas e sabores do Verão...

P.S. Um dia ainda vou ter a coragem de fazer de todos os meus dias dias de Verão!

13 de agosto de 2009

12 de agosto de 2009

Nestas férias...

Nestas férias fiz muita coisa...
Limpei a alma e esbanjei sorrisos...
Viajei em descoberta de locais idílicos, de água azul e cristalina...
Conheci gente nova e bonita... por fora e por dentro! (Também conheci gente assim-assim...)
Pus a leitura em dia...
Escrevi textos deliciosos no meu caderninho azul, daqueles que nos purificam o íntimo!
Visitei sítios fantásticos e conheci uma nova cultura...
Fiz snorkeling, nadei e explorei o fundo de coral...
Vi mil e um peixes de cores diferentes...
Fiquei com a pele douradinha de tanto sol que apanhei...
Tirei fotografias e deixei que me fotografassem...
Vivi uma viagem turbulenta no regresso...
Dei um mau jeito às costas que me fez chorar de dor e ficar praticamente sem me mexer durante dois dias...
Recebi uma notícia triste à chegada que me abalou o espírito...
Custou-me horrores voltar à rotina...

Mas vivi, experimentei coisas novas, tu e eu aproximámo-nos (porque ficámos ainda a conhecer-nos melhor), arquivei em mim novos cheiros e sabores, ganhei a coragem e a vontade necessárias para mudar em mim coisas que há tanto desejava, organizei ideias e pensamentos...

E descobri nestas férias que só faz sentido viver se for até ao limite,
sem estabelecer limites e fronteiras imaginários,
sem barreiras e entraves,
de peito e coração abertos,
de alma e mente desbloqueadas,
sem ter medo de sofrer,
sem ter medo de cair - até no ridículo -,
sem ter medo de amar,
sem ter medo da entrega, da partilha, da exposição sem capas nem subterfúgios,
sem ter medo de sonhar e de querer ainda mais,
sem ter medo da crítica, do desdém e das provocações que nos aparecem pelo caminho,
sem ter medo de VIVER!

Seguidores

moranguinhos

Este blog possui actualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo