31 de maio de 2011

Recuso-me a alimentar boatos

Infundados ou não, cada um sabe de si. Alimentá-los é um desperdício de tempo e não nos traz felicidade alguma. Nem a nós nem a ninguém, julgo eu. Pelo menos, é nisso que quero acreditar.

26 de maio de 2011

Eu dou-me tão mal mas tão mal com a hipocrisia. É coisa para me dar vómitos, acreditam?

20 de maio de 2011

Weddings' report #1

Organizar um casamento não é fácil. Organizar dois, muito menos. Ainda assim, e depois de ultrapassadas todas as chatices e desavenças iniciais, é uma fase muito gira. Quando todos os pormenores e detalhes são organizados e pensados a dois, ainda mais.

Ainda são milhares as coisas por tratar, não obstante já termos dado andamento a tantas outras. 

Para o casamento de Bali, está tudo muito bem encaminhado. Já temos o local [ fabuloso, por sinal] e as coisas ainda por definir assentam apenas na escolha do bolo e do menu para o jantar. O vestido da noiva e da princesinha das alianças [ou menina das ambulâncias, como ela se intitula] já estão tratados, as sandálias também. Faltam os acessórios e o fato do noivo.


As viagens estão marcadas, as consultas do viajante e a estadia também. Vamos ficar todos juntos numa villa magnífica. Falta apenas definir os roteiros, quer das férias conjuntas quer da lua-de-mel.

Quanto ao casamento de cá, as ideias estão definidas mas ainda a pairar um pouco nas nossas cabecinhas. É deixá-las assentar e rezar para que tudo corra bem. Para já, ainda só temos definidos os locais da cerimónia e da festa e a fotógrafa, que é uma querida. A cerimónia vai ser na praia, a festa em casa dos meus pais. Também já marcámos data e hora na Conservatória. Vamos só os três.

Vão ser casamentos pequenos mas cheios de momentos grandes. Assim o esperamos.

12 de maio de 2011

Dos hábitos saudáveis que adquiri nos últimos tempos

 - deitar e levantar cedo
 - deixar de fumar
 - começar a correr
 - beber muita água e chá durante o dia
 - privilegiar o consumo de frutas e legumes
 - reduzir o consumo de álcool
 - deixar de beber café
 - ler muito, todos os dias
 - voltar a praticar yoga


Dos hábitos assim não tão saudáveis que ainda mantenho

 - atacar a máquina de vending do escritório quando me dá a fome [e não, a máquina não tem coisas saudáveis...]
 - comer uma sobremesa ao almoço praticamente dia sim, dia sim
 - roer as unhas [é uma desgraça, não consigo largar este vício...]
 - hidratos de carbono ao jantar; não resisto, dá-me a fome

[faltam aqui imensos, como devem calcular, mas, ao que parece, a minha mente agora tem um dispositivo que bloqueia as coisas más e , quanto a isso, não posso fazer nada. A minha mente é que manda.]

Regressar ou não regressar

Eis a questão.

9 de maio de 2011

A arte de visualizar

Andava às voltas, desde o início da semana passada, com um parecer importante para enviar a um cliente. A coisa não estava, definitivamente, a correr da maneira que eu queria. Acabei por estruturá-lo de uma forma que não a pretendida e enviei-o, muito a medo, para revisão do chefe. Não me sentia bem com o resultado final do meu trabalho, estava completamente insegura em relação ao mesmo. Obviamente, pediu-me para refazer o dito cujo com algumas críticas à mistura.

Se vos disser que durante o fim-de-semana não pensei em praticamente mais nada, não estou a mentir. Preocupa-me quando não consigo fazer bem as coisas. Talvez seja demasiado exigente comigo mesma mas a verdade é que, por princípio, não me contento com nada abaixo da excelência. Até que ontem, antes de adormecer e à custa de tanto pensar no assunto, visualizei o resultado final do famigerado parecer. Visualizei-o precisamente da forma que gostaria que tivesse tomado logo da primeira vez. Hoje, felizmente, foi só chegar ao escritório e pôr no papel todas as ideias que iam na minha mente.

E agora pergunto-me: será que a arte da visualização resulta mesmo ou foi apenas sorte de principiante? É que se resultar mesmo, a minha vida acabou de se tornar mais fácil.

4 de maio de 2011

Era tão isto



http://www.youtube.com/watch?v=oRdbvGgPPiw

O estilo de vida, a simplicidade, o surf e os amigos, a liberdade, o mar e uma vida errante, o sol, o ar puro, a tranquilidade e a música. Sempre a música. Na alma, nos gestos e nos sentimentos.

Às vezes sinto-me um pássaro ferido com uma asa partida. Aprisionada mas ansiando sempre pelo dia em que voltarei a voar.

[excelente realização de Taylor Steel - anúncio da Corona Australia.
Música fantástica: Years around the sun, "miles away"]

Sei que nem sempre posso ter aquilo que quero mas nada me impede de sonhar, certo?

Seguidores

moranguinhos

Este blog possui actualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo