14 de fevereiro de 2011

Às voltas com o verbo mudar

Há alturas em que sentimos que algo na nossa vida tem de mudar. Confesso que nos últimos tempos não houve um único dia em que não tivesse sentido isso. Até aqui tudo bem. O problema é que sou uma pessoa bastante ansiosa e exijo sempre demais. De mim e dos outros mas por agora foquemo-nos em mim.

Se pudesse, mudava tudo aquilo que queria mudar de um dia para o outro, de repente. Assim, com um estalar de dedos. Pumba, já está! De um dia para o outro, transformava-me numa pessoa completamente diferente. Hoje sou eu e amanhã seria o meu "novo" eu, tal e qual como idealizado, sem tirar nem pôr. Sem sacrifícios, sem adaptações, sem me sentir baralhada, perdida e confusa nas ruas tortuosas da minha mente. Zás, just like that! Tipo "now you see me, now you don't".

Infelizmente, o processo de mudança não opera assim. Demorei que tempos a mentalizar-me disso e percebi, finalmente, que já só lá vou com baby steps. Devagarinho, a pouco e pouco, vou alterar em mim tudo aquilo de que não gosto, tudo aquilo que já não suporto. Vou mudar em mim uma coisa por dia e vou encará-la como uma missão de vida. Vou começar por mudar coisas simples, à partida sem importância, mas que no fim farão toda a diferença. Assim que tome a decisão, já não há volta atrás. Uma vez escrito e interiorizado, não vou inventar mais desculpas para não cumprir aquilo a que me proponho. O objectivo a longo prazo está definido. Agora é só uma questão de tempo e de (muita) vontade.

Baby step # 1: deixar de roer as unhas. 

4 comentários:

Violet* disse...

Mudar é sempre bom =) e deixar de roer as unhas tb =)

beijinho*

Palavra Já Perdida disse...

Com força de vontade, tudo se consegue. E sejam eles baby steps, o que interessa é que os dês !!!

*****

Mãe Inês disse...

Querida Miss Strawberry,
A "Mudança" há algum tempo que me assalta os pensamentos. Agora confrontei-me com este teu Post e sou obrigada a parar para pensar e não os negligenciar. Uma vez mais, entendo-te tão bem. Tão bem.

Em relação a esse baby-step, no meu caso esse vício só passou com a gravidez do MM! Durante anos roí as unhas. Usei tudo. Aqueles vernizes horrorosos para parar de roer e nada surtiu efeito. No meu casamento gastei uma fortuna (já foi há 12 anos, na altura não era tão comum como agora) a meter unhas postiças. Foram muitos anos assim e enervadissima por detestar ser assim.

Quando fiquei grávida,por um lado criei uma "paranóia" que ao roer as unhas poderia passar alguma porcaria para o bebé e, por outro, passei a ter tanto em que pensar, tudo novo que me distraí do vício! Já lá vão 3 anos :-)

Vais conseguir. Mas tens que manter a motivação e para isso sugiro-te que as tentes arranjar, pintá-las de uma cor que te agrade e mantê-las o mais bonitas possível, assim será mais fácil resistir à tentação.

Muitos beijos!

liliana disse...

Mudar nem sempre é fácil e às vezes os pequenos passos nem são os mais fáceis porque são sempre aqueles que achamos que não faz mal voltar atrás. Tenho acompanhado um blogue que gosto imenso que se chama "dias como este" e que, de certa forma, fala de como ultrapassar uma mudança forçada. Acho que vais gostar.

Seguidores

moranguinhos

Este blog possui actualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo