30 de outubro de 2009

À noite em Lisboa


Mudei-me para Lisboa há, mais ou menos, ano e meio... uma mudança necessária que há muito se impunha mas que só no passado ano, por inúmeras circunstâncias, foi concretizada. Lisboa já faz parte da minha vida desde a altura em que vim para a faculdade. Viagens diárias de ida e volta que me roubavam sempre, no mínimo, duas horas do meu dia. Terminei o curso e comecei a estagiar em Lisboa e por cá fiquei. A rotina diária manteve-se e, no cômputo geral, andei cerca de nove anos a deslocar-me de um lado para o outro.

Até que no ano passado me mudei. Não foi fácil, confesso. Não é aqui que está a minha família nem o meu namorado [pelo menos, numa base permanente] nem os meus amigos nem os sítios do costume. E, portanto, a tendência nos primeiros tempos foi a de encarar aquele espaço a que agora chamo home sweet home como um quarto de hotel. Via-o como um sítio temporário, impessoal, onde passava a semana, apenas por razões de comodidade e proximidade do local de trabalho e sempre, sempre a pensar no fim-de-semana...

Mas, desde há uns tempos para cá, decidi mudar de atitude. E desbloquear o preconceito que criei em relação a esta cidade. Lisboa pode não ser o meu local de eleição para viver mas, enquanto por cá estiver, vou aproveitar esta cidade ao máximo e explorá-la em pormenor, tal e qual como faço com todas as outras cidades que visito e tanto adoro!

E eu vivo numa zona bonita e central, entre o Marquês e o Princípe Real, e que tanto tem por descobrir. O que me coloca numa posição privilegiada que não posso continuar a ignorar. E por isso, ontem, pela primeira vez desde que cá estou a tempo inteiro, decidi fazer uma caminhada por Lisboa à noite. E adorei o que vi e o que senti. Os cheiros e as cores da cidade. As pessoas, diferentes e apressadas. O pulsar constante que a inunda de boas vibrações... os edifícios novos, os reconstruídos e os abandonados que lhe dão uma aura especial... a música no ar que animava as gentes nas esplanadas dispersas... as ruas iluminadas e os becos escuros e cinzentos... as calçadas irregulares...

E eu gostei. Gostei tanto. Home sweet home

foto de anaPaipita

4 comentários:

Girl in the Clouds disse...

Eu adoro a cidade de Lisboa!! Tenho uma sensação tão boa quando passo em determinadas zonas! Kiss

Mãe Inês disse...

É curioso. Eu perspectivo precisamente o movimento contrário. Adoro Lisboa. Nasci e cresci nela. Trabalho nela. Agora moro no Estoril que acaba por ser perto (mas muito, muito longe nas horas de ponta!!!). Mas, por uma série de razões mas, sobretudo, uma melhoria da qualidade de vida coloco a hipotese de me mudar para o campo, para a "província", para outros ritmos, outros cheiros e outras gentes. Não sei se será um projecto e médio ou longo prazo mas confesso que, ao mesmo tempo que anseio por alguma tranquilidade também temo pela falta que Lisboa me faz.
Aproveita o sítio onde moras e tenta fazer isso mesmo, descobrir nele um lar.
UM beijinho e bom fim-de-semana.

Miss Strawberry disse...

Girl in the Clouds
Começo a saber o que isso é!;)

Mãe Inês
Fizemos precisamente o percurso oposto! Mas, tal como tu, os meus projectos a médio/longo prazo também passam pela saída de Lisboa... Talvez venha também a sentir-lhe a falta.. e sim, vou aproveitar ao máximo enquanto cá estou!
bjs

Maria Inês disse...

somos vizinhas, então.

Seguidores

moranguinhos

Este blog possui actualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo